• 266 739 520
  • geral@acde.pt

A ACDE

 

A Associação Comercial do Distrito de Évora, é uma Associação sem fins lucrativos, foi fundada no início do século XIX, mais concretamente no dia 20 de Julho de 1890.

Em 1925 mudou a sua designação para Associação Comercial e Industrial do Distrito de Évora, tendo em 20 de Setembro de 1940 sido substituída por Grémio do Comércio do Distrito de Évora e desde 6 de Setembro de 1975, resultante da transição do ex-Grémio, foi constituída como Associação Comercial do Distrito de Évora.

Em 2001, por despacho, foi declarada Instituição de Utilidade Pública, devido ao mérito da acção desenvolvida no sector comercial da região.

Em termos territoriais abrange os concelhos de Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa.

Desde a sua fundação, tem como objectivo principal a defesa dos direitos e interesses dos comerciantes do distrito de Évora e a organização das estruturas representativas do comércio retalhista.

Visão
Contribuir de forma activa para a melhoria do sector do Comércio Tradicional, sobretudo através da formação e qualificação individual dos profissionais deste sector, tornando-o mais competitivo, aberto ao exterior e dotado, de uma forma geral, de competências para enfrentar as dificuldades e oportunidades de uma economia global.

Missão
Consolidar a Associação Comercial do Distrito de Évora como uma Entidade Associativa de referência para o Comércio Tradicional e Serviços

Valores
A cultura organizacional da ACDE assenta em 4 valores-chave:
– Rigor científico e actualização permanente;
– Defesa da Cooperação Empresarial/Institucional;
– Dinamização do Associativismo;
– Compromisso com a Excelência.

Orientações Estratégicas
De forma a concretizar esta visão estão definidas as seguintes linhas globais de orientação estratégica:
– Assegurar disponibilidade formativa que se enquadre na procura dos nossos Associados;
– Promover diligências com a intenção de estabelecer protocolos de colaboração com novas instituições;
– Levar os nossos Associados a perceber e reconhecer a importância de disponibilizar formação creditada aos seus colaboradores, para colmatar as lacunas existentes nas suas instituições;
– Consolidar modelos formativos já estruturados, actualizando-os em conformidade com as necessidades dos colaboradores e das próprias instituições para poderem acompanhar a evolução do mercado.
– Promoção de novos projectos de apoio ao Comércio e Serviços,
– Estabelecimento de parcerias estratégicas para candidatura a projectos e dinamização da actividade comercial.

Ir para a barra de ferramentas